Melitta, Nise da Silveira e o time da Dionisio: o que essas mulheres têm em comum?

LinkedIn

Para o 08/03 deste ano, a Dionisio.AG decidiu fazer uma homenagem para relembrar alguns projetos e ideias criados e pensados por mulheres, colocando suas ambições em movimento. No final do texto, você poderá conferir a arte que foi realizada na parede de nosso escritório, criada por uma artista mulher e também pensada com o objetivo de presentear as mulheres que compõem o time interno da Dionisio, presentes desde o atendimento, relacionamento, até a execução de projetos. Todas com suas particularidades, sempre temperando os trabalhos com suas sensibilidades e singularidades.

Nise da Silveira

Foto: Área de Mulher

Nise Magalhães da Silveira foi uma médica psiquiatra brasileira. Em 1944, começou a trabalhar no Centro Psiquiátrico Pedro II. Inserida na instituição, teve contato de perto com os ‘’progressos’’ da medicina como a lobotomia, o eletrochoque e o choque insulínico. Diante dessas violências, entendidas pelos médicos como grandes revoluções, Nise decidiu pensar em novas formas de tratamentos mais humanizados e menos agressivos. 

Em 1946, fundou a Seção de Terapêutica Ocupacional e Reabilitação, com o objetivo de tratar seus pacientes por meio da arte, utilizando expressões artísticas como ferramentas para tratamentos terapêuticos. Criou espaços no hospital dedicados a trabalhos manuais, sapataria, marcenaria, ateliês de pintura, teatro, esportes entre outras atividades. Seu método consistia em usar como base o afeto e a compreensão.

Clique aqui para ver o filme brasileiro, Nise: O coração da Loucura, em homenagem a Silveira e conheça melhor sua história. 

Martha Cooper

foto: @marthacoopergram

Fotojornalista, americana, nascida em 1940, foi a primeira mulher a ser contratada no New York Post na década de 1970. É conhecida no meio por documentar o panorama do grafitti no recorte de Nova York entre as décadas de 1970 e 1980. 

Seu pai e seu tio tinham uma loja de câmeras, o que proporcionou a Cooper uma proximidade apaixonada pela fotografia desde criança, tirando suas primeiras fotos aos três anos de idade. Desde então, é um dos maiores nomes quando se fala em fotografia da cultura do hip hop – que abarca a cena do grafitti. 

Martha tem alguns livros publicados, como The Hip Hop Files, que se tornou sagrado para artistas do mundo todo, Subway Art, Street Play, Tag Town, dentre tantos outros. Seu trabalho também foi exibido em diversos países, compondo museus e galerias como no Museu da Cidade de Nova York; Museu de Arte Contemporânea, Los Angeles; Museu Pera e muitos outros. 

Clique aqui para assistir uma entrevista exclusiva que a fotógrafa deu para a TV Cultura, uma vez que ela estava em São Paulo. 

Melitta Bentz

E, por falar em arte, não poderíamos esquecer do queridíssimo combustível de muitos artistas, que faz toda a mágica acontecer: o café. 

Tomar café é mais do que servir-se de uma bebida. Para artistas, principalmente para os grandes escritores, tomar café sempre foi um ritual sagrado e carregado de poesia, que possibilita a passagem de um mundo para o outro, um marcador de tempo, ou até uma transição que nos permite atravessar o portal da realidade para o mundo da fantasia. 

Mas, o que muitas pessoas não sabem é que, quem deixou essa experiência muito mais agradável e acalentada, foi uma mulher, Melitta Bentz. 

Ao que tudo indica, Melitta sentia também o toque mágico que existe no ato de passar, servir e beber o café. Para ela, este ritual era tão importante que havia algo ali que sentiu que não se encaixava, e que poderia ser, de alguma forma, aperfeiçoado. Bentz sentia haver um amargor na bebida que atrapalhava seu gosto. 

Foto: Iprofessional

Assim, ela foi tentando, na cozinha de sua casa, fazer experimentos para tirar esse amargor. Até que, um dia, decidiu colocar uma folha no funil, separando o grão e o líquido. E então, voilá! descobriu que o café era sim, afinal, uma experiência doce. 

Dessa forma, dona Melitta revolucionou a experiência do café, criando o primeiro filtro de café, para a alegria de todos os amantes deste grão delicioso, e para a alegria dos escritores.

Mirthes Bernardes 

Mirthes Bernardes, brasileira e artista plástica, trabalhou como desenhista de arquitetura na Secretaria de Obras da Prefeitura de São Paulo durante a gestão do prefeito Faria Lima. Bernardes nasceu em Barretos, em 1934, e era formada em Pedagogia e Serviço Social, e era, também, uma humilde artista. 

Certa vez, estava esboçando um desenho despretensiosamente, quando seu chefe passou os olhos e sugeriu que ela fizesse a inscrição em um concurso destinado a eleger o padrão das calçadas da cidade de São Paulo. Entre os quatro desenhos finalistas, Mirthes ganhou a posição de primeiro lugar. 

Foto: Sobreviva em São Paulo

Foto: São Paulo São

Assim, uma mulher, a artista Mirthes Bernardes, foi a criadora do nosso famoso piso padrão da capital de São Paulo. 

Assim como essas mulheres que colocaram suas ideias, artes e sensibilidades em movimento, aqui na Dionisio, na semana da mulher, demos início ao projeto #MUROSEMMOVIMENTO, com a pintura de um dos espaços que compõem o nosso escritório. Afinal, trabalhando em negócios e produções com arte, é necessário lembrar de incluir também essa estética em nosso cotidiano, já que para pensar grande, é preciso pensar internamente. Esse projeto visa estimular o nosso universo, buscando assim enaltecer os talentos da casa, revelando, de outra perspectiva, o time de mulheres presentes. Quase como um overview dos talentos e personalidades, que em diferentes áreas realizam um trabalho cauteloso e responsável. 


Essas mulheres preenchem além de seus trabalhos diários, a missão inteligente de driblar desafios com elegância, inteligência, humor e criatividade, sendo instigadas a partir desse movimento a recordarem das cores de suas personalidades, de não temerem criar novas ideias e ancorar projetos, assim revelando ao mundo um infinito de possibilidades, como a gama de artistas mulheres que compõem a história da Dionisio até hoje. Além disso, um recado a clientes e artistas, de que internamente são contemplados e atendidos com visões femininas, estimulando oportunidades igualitárias e amplitude de ideias constantes. Para ancorar esse convite, trouxemos a artista Aline Fraga, que conseguiu revelar em seus rostos, como as mulheres podem ser também múltiplas e em um conjunto, apresentam uma força sem limites.” – Monna Ricotta; Head de comunicação na Dionisio.AG

Foto por: Davi Ferrini

Aline Fraga

Conhecida como uma multiartista, atuando em campos tão diversos quanto a arte visual, ilustração, customização, live painting, murais e arte digital. Seus trabalhos sob encomenda refletem temas variados que vão desde telas intimistas até murais grandiosos. Fraga traz elementos como a natureza, as cores, formas e padrões africanos que compõem o seu  trabalho, convidando as pessoas a mergulharem em um mundo onde o lúdico se encontra com o cotidiano. 

E olha só que lindo que ficou o mural:

Foto por: Davi Ferrini

E, se você quiser ver essa arte de pertinho, é só passar na frente do nosso escritório, no Beco do Batmam, na rua Mário de Alencar, 58, e se sentir presenteado com essa arte que foi pensada para todas as pessoas que cruzarem este caminho.

“Com os olhos do coração bem abertos, posso sentir a minha existência e, assim, deixar meus movimentos virem ao mundo, transformando o que antes era muro, em movimento”. – Larissa Mazza; Head de comunicação na Dionisio.AG


Vídeo: Izi TV
LinkedIn

Categorias

Photo Stories

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Get Curated Post Updates!

Sign up for my newsletter to see new photos, tips, and blog posts.